Conceição dos Ouros – Terra do Polvilho

Conceição do Ouros, cidade no extremo sul de Minas Gerais, localiza-se a 22.41° na latitude Sul e 45.79° de longitude Oeste da Serra da Mantiqueira.

O município é banhado pelos rios Sapucaí-Mirim, Capivari, e pelo Ribeirão do Ouros, que lhe dá o nome.

Seu Clima é tropical de altitude com a temperatura média de 18 graus Celsius, e vegetação natural constituída por trechos remanescentes da mata Tropical de Encosta, ou Mata Atlântica, destacando-se a Mata da Bexiga, na fazenda Chapada. Sua população de 10.388 habitantes (censo 2010) concentra-se na área urbana. O município é servido pela rodovia MG-173.

 

História

Devido aos inúmeros achados arqueológicos na região de Conceição dos Ouros, sabe-se que o local já era habitado no século XIV pelos índios cataguás. Durante os séculos XVII e XVIII as inúmeras entradas e bandeiras vindas de São Paulo em direção à Região das Minas, encontrou num curso de água que, posteriormente, seria chamado de Ribeirão dos Ouros, uma quantidade relevante de ouro de aluvião (às margens desse mesmo Ribeirão seria fundado o povoado de Nossa Senhora da Conceição das Cachoeiras dos Ouros em 1854).

Devido à essa descoberta, foram feitas escavações nas regiões dos Bairros rurais ourenses como: Fazendinha, Três Cruzes e Ouros Velhos. Também foram feitas perfurações na região da Cachoeira dos Pilões. Porém, a primeira população oficial de Conceição dos Ouros foi registrada somente no ano de 1824, quando Major Félix da Mota Pais se fixou junto com a família, escravos e amigos, na região do Oratório das Dores.

Com dificuldade do atendimento religioso, pois a paróquia mais perto era a de Pouso Alegre, que fica a mais de 40 quilômetros do local, o major e seu vizinho, Inácio da Costa Resende, firmaram um acordo onde construiriam uma capela na divisa de suas propriedades. A história conta que a esposa de Inácio e a de Félix se desentenderam, assim Inácio da Costa Resende, em 1854, construiu uma capela dedicada a São João Batista nas proximidades do local do antigo acordo, hoje Cachoeira de Minas. Já Major Félix construiu, no mesmo ano, uma dedicada à Nossa Senhora da Conceição, próxima ao local onde o Ribeirão dos Ouros encontra o Rio Sapucaí-Mirim.

A capela de Ouros logo teve que ser substituída por um templo maior, já que o número de fiéis havia crescido abruptamente. Com isso a Arquidiocese de São Paulo cria a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição dos Ouros, em 1865. As terras ourenses pertenceram a Pouso Alegre e posteriormente a Paraisópolis. A localidade emancipou-se no ano de 1948, adotando o atual nome.

O Polvilho

A produção do polvilho é uma atividade que remonta à épocas anteriores ao próprio Descobrimento do Brasil, quando os índios Tupis-Guaranis, tendo a mandioca como uma das suas principais fontes de alimentação, já exerciam a extração do polvilho dessa planta por meio do processo de decantação.

Com o passar dos séculos na região de Conceição dos Ouros, a produção, antes manual e feita em pequenas quantidades, foi industrializada e aprimorada com novas tecnologias, permitindo um grande crescimento na sua escala. Assim, a cidade que também é a maior produtora de mandioca de Minas Gerais, passou a ser a principal fornecedora de polvilho em todo o mundo, tornando-se a Capital Nacional do Polvilho.

 

Turismo

A cidade desde 2002 integra o circuito turístico Serras Verdes do Sul de Minas. A cidade tem um forte potencial, mas recebe pouco incentivo nessa área. O município recebe um número significativo de visitantes em épocas isoladas durante o ano.

Os principais pontos turísticos do município são:

  • Cachoeira das Três Cruzes;
  • Cachoeira dos Euclides;
  • Cachoeira dos Pilões;
  • Cachoeira dos Rochas;
  • Mata da Bexiga;
  • Serra Grande;
  • Morro do Quilombo (Serra Careca);
  • Morro do Sertãozinho;
  • Fábricas de Polvilho;
  • Museu Histórico, Arqueológico, Cultural e ambiental;
  • Sítio Arqueológico Pré-Histórico do Dórgão;
  • Sítio arqueológico Engenho dos Índios.
Festas

O município de Conceição dos Ouros recebe turistas ao longo do ano em festas como:

Festa do Polvilho

Festividade que reúne milhares no mês de agosto, ocorre junto ao aniversário de emancipação político administrativo do município. com a presença de grandes cantores na festa de comemoração. Nomes como Chitãozinho e Xororó, Daniel, Péricles, Paralamas do Sucesso e outros já se apresentaram na cidade.

Link do Evento

Festa da Padroeira
Uma das festividades mais antigas do local, acontece há mais de 150 anos. Tem uma rica programação religiosa que inclui missas, procissões, novenas, etc. E também conta com: shows musicais, feira popular, sorteio de prêmios, quermesses, etc. Ocorre entre os meses de novembro e dezembro. Comemorada entre os dias 29 de novembro a 8 de dezembro, este último o dia da Padroeira da Cidade: Nossa Senhora da Conceição. A festa é rica em comidas típicas como leitoa assada, pasteis de farinha de milho e o famoso tutu de feijão.

Festas Juninas
Ocorrem no mês de junho e julho em vários locais da cidade, cada um com sua particularidade. homenageia os santos juninos: Santo Antônio, São João, e São Pedro.

Semana Santa
Devido à forte tradição católica romana da cidade, a Semana Santa é marcada por emocionantes celebrações, procissões, encenações, etc., como ocorre em muitos municípios mineiros.


Informações úteis

Aniversário da cidade: 6 de agosto

População: 10.690 habitantes (IBGE 2010)

Altitude: 863 metros

Área: 182,67 km2

Telefonia: Vivo, Claro, Oi e Tim

Bancos: Bradesco, Sicoob e Casa Lotérica

Informações turísticas: (35) 3653-1007

Site: turismo@conceicaodosouros.mg.gov.br

Policia Militar: (35) 3653-2267 | (35) 98445-6681

Hospital: (35) 3653-1122


 

DEIXE UMA AVALIAÇÃO SOBRE O POST
[Total: 0 Average: 0]

Compartilhe nas Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *